Lula Deixa MEIs Festejando Após Decisão Sobre Linha De Crédito Exclusiva | Reconsaj Noticias



                                      Lula (Foto: Agência Brasil)

O governo brasileiro lançou recentemente o programa “Acredita no Primeiro Passo”, um poderoso aliado para microempreendedores individuais (MEI) no Brasil. Sob gestão do CadÚnico, essa iniciativa promete revolucionar o acesso ao crédito para os pequenos negócios, oferecendo condições especiais e capacitação fundamentais para o crescimento e sustentabilidade desses empreendimentos.
O programa “Acredita no Primeiro Passo” se diferencia por oferecer não apenas recursos financeiros, mas também um rico programa de capacitação destinado a ensinar os empreendedores sobre melhores práticas de gestão empresarial. Com uma estimativa de mais de 1,2 milhão de operações de microcrédito previstas até 2026, a iniciativa almeja fortalecer a base econômica do país através do impulso aos micro e pequenos empresários.
Como fazer a inscrição para aproveitar os benefícios
Para os interessados em aproveitar essa oportunidade, o primeiro passo é verificar a elegibilidade através do CadÚnico. Após essa etapa, a inscrição pode ser realizada pelos canais oficiais do programa, garantindo assim acessibilidade e suporte completos durante o processo de solicitação do crédito.
Além do acesso ao crédito, o programa “Acredita no Primeiro Passo” coloca um enorme foco na capacitação contínua dos empresários. A proposta é formar uma base sólida de conhecimento que permita aos empreendedores não apenas iniciar, mas manter e expandir seus negócios com sucesso. Este detalhe transmite uma clara intenção do governo de alimentar um ciclo virtuoso de crescimento e inovação no cenário empresarial brasileiro.
Confira os benefícios detalhados da linha de crédito para MEI:Acesso facilitado a linhas de crédito com condições especiais;
Programas de capacitação e acompanhamento empresarial detalhado;
Um foco especial em apoiar iniciativas lideradas por mulheres.
Crédito imobiliário
O programa Acredita pretende, ainda, auxiliar o mercado de crédito imobiliário, que enfrenta desafios com relação à fonte de financiamento, decorrentes da redução da captação líquida de poupança. Será expandido o papel da Empresa Gestora de Ativos (Emgea) para atuar como securitizadora no mercado imobiliário.
Segundo o governo federal, a oferta de crédito imobiliário no Brasil é consideravelmente baixa, correspondendo a apenas 10% do Produto Interno Bruto (PIB), menor que todos os países da OCDE. Essa limitação na disponibilidade de crédito reflete diretamente no setor de construção civil, que opera abaixo de suas potencialidades.
                                                 Fonte  Beneficioshoje

Postar um comentário

0 Comentários