Pesquisa Datafolha aponta que 32% dos paulistanos se dizem petistas, contra 15% dos que afirmam ser bolsonaristas - RECONSAJ NOTICIAS

Breaking

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

domingo, 3 de setembro de 2023

Pesquisa Datafolha aponta que 32% dos paulistanos se dizem petistas, contra 15% dos que afirmam ser bolsonaristas

Pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha aponta que 32% dos moradores de São Paulo se identificam como petistas, enquanto 15% se declaram bolsonaristas. De acordo com o levantamento, - que mensurou o espectro da polarização, partindo de 1 (bolsonarista) a 5 (petista), tendo 2 como uma classificação de mais bolsonarista que petista, 4, o contrário, e 3 sendo um ponto de neutralidade entre os dois campos políticos - 26% afirmaram ser neutros, enquanto 6% afirmaram estar mais próximos ao bolsonarismo e 13% mais próximos ao petismo.

“Somando-se os espectros mais bolsonaristas e os espectros mais petistas, são 21% de alguma forma alinhados às ideias do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), enquanto 45% veem mais concordâncias com o partido de Lula”, ressalta o jornal Folha de S. Paulo. Comparando com o cenário nacional, onde 29% dos eleitores se declaram petistas e 25% se identificam como bolsonaristas, a capital paulista mostra uma tendência maior em direção ao partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e à esquerda.
A tendência reforça o panorama das eleições de 2022, quando, na capital paulista, Lula (PT) recebeu 54% dos votos válidos em relação a Jair Bolsonaro (PT), e Fernando Haddad (PT) obteve 55% da preferência dos eleitores contra Tarcísio de Freitas (Republicanos). Em todo o estado, contudo, os resultados foram inversos, com Bolsonaro vencendo por 55% a 45% de Lula, e Tarcísio sendo eleito governador com 55% dos votos, frente aos 45% do atual ministro da Fazenda.
Essa inclinação à esquerda também se reflete na liderança do deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) nas pesquisas eleitorais para a Prefeitura de São Paulo em 2024. Ele conta com 32% das intenções de voto, enquanto Ricardo Nunes (MDB) figura com 24%. Alguns aspectos, no entanto, são semelhantes entre os dois grupos. A avaliação da gestão de Nunes é vista majoritariamente como regular tanto entre petistas (48%) quanto entre bolsonaristas (40%).
Ambos os lados da disputa ideológica concordam que há uma necessidade de mudança na próxima administração municipal. De acordo com a pesquisa, 62% dos apoiadores de Bolsonaro e 84% dos de Lula acreditam que as ações do próximo prefeito devem ser diferentes das do atual chefe do Executivo municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad