Polícia encontra corpo de vigilante que tinha acesso às câmeras da festa de Arruda

Claudinei Coco seria o “responsável pelo fornecimento de senhas” das câmeras. Defesa de Arruda diz que ele poderia ter mostrado as imagens a Guaranho. Polícia confirma suicídio


Foi encontrado morto neste domingo (17) em Medianeira (PR) o vigilante Claudinei Coco Esquarcini, um dos diretores da Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu (Aresf), em Foz do Iguaçu (PR), onde o policial penal bolsonarista Jorge Guaranho assassinou o guarda municipal e tesoureiro do PT Marcelo Arruda no último dia 9.

A informação foi confirmada ao Metrópoles pela defesa da família de Arruda e pela Polícia Civil do Paraná. A policia confirma se tratar de suicídio.

Segundo investigação da Polícia Civil, Guaranho ficou sabendo da festa de aniversário de Arruda com temática do PT justamente por meio das imagens das câmeras.

A defesa da família de Arruda diz que Claudinei poderia ter mostrado a Guaranho a imagem da festa que ocorria no clube. Reportagem da Globo do Paraná publicada na noite deste domingo (17) informa que o segurança que mostrou as imagens a Guaranho foi Márcio Jacob Muller Murback: "como sócio da Aresf, Murback tinha acesso às imagens das câmeras de segurança da Aresf. E, durante um churrasco em que os dois estavam presentes, na noite do crime Guaranho viu – pelo celular de Murback, por volta das 20h40 de sábado – que o tema da festa seria o PT", diz a reportagem.
Os advogados pedem nesta segunda-feira (18) à 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu a quebra de sigilo do telefone celular de Claudinei. "Foi da reunião festiva entre estes [churrasco do qual Guaranho participava], no dia dos fatos, após visualização das câmeras, disponibilizada de uma forma ou outra por ambos, em conjunto ou isoladamente, com a participação ou não de Claudinei Coco Esquarcini ou de outros ainda não identificados, que o assassino partiu para matar Marcelo. Tais imagens estavam, disponíveis aos diretores da Aresf. Quem são? De que forma atuaram ou não? Partícipes ou não no fato criminoso? A quem Claudinei as disponibilizou? Quem tinhas as senhas de acesso?".
A defesa também quer que o presidente do clube onde o crime ocorreu, Aresf, Antonio Marcos de Souza, forneça a "relação completa dos membros da diretoria da Aresf, relacionando nome completo, RG, CPF e endereço, bem como número dos respectivos celulares".

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem