Header Ads Widget

Governadores e prefeitos reagem a Bolsonaro


O Brasil reage a Bolsonaro, enquadra Bolsonaro e vai acelerar a vacinação por conta de governadores, prefeitos e do Congresso Nacional.
Conseguimos aprovar – e foram sancionadas na última semana – as leis que construímos no Congresso Nacional que autorizam estados e municípios a participarem da compra de vacinas, assim como ampliar e acelerar a vacinação, coisa que o governo federal não está cumprindo.
Essas leis obrigam o governo federal a ter que cumprir a meta de vacinação.
Bolsonaro, que havia vetado esta medida na semana anterior, teve que sancionar desta vez porque o Congresso Nacional em articulação feita pelos partidos de oposição, conseguiu aprovar mais uma vez os projetos, obrigando o presidente à sanção.
Bolsonaro está em um momento acuado.
A postura anti-vacina do presidente, de negar as ofertas que foram feitas ainda no ano passado ao governo federal, de tentar criar obstáculos para a incorporação de vacina no país e a paralisação do programa de vacinação, faz com que Bolsonaro esteja em seu pior momento.
E, infelizmente, também estamos no pior momento do crescimento da covid-19.
Só a aceleração do plano de vacinação e a responsabilidade de governadores e prefeitos, em restringir a circulação nas cidades, pode fazer com que a gente salve vidas e a economia ao mesmo tempo.
De imediato precisamos vacinar, vacinar, vacinar.
                                       Acelerar a vacinação.

A entrada dos governadores e prefeitos neste movimento, podendo comprar as vacinas, a partir das medidas que aprovamos no Congresso Nacional, vai ser mais um passo para isso.

Mas precisamos agora exigir que o governo federal reabra de imediato os leitos que foram fechados pelo corte de recursos.

E precisamos ter responsabilidade respeitando o distanciamento físico, na diminuição da circulação nas cidades, na proibição de aglomerações em todas as regiões do país que tenham mais de 80% dos leitos de UTI ocupados.

Alexandre Padilha Fonte : www.cljornal.com.br

Postar um comentário

0 Comentários