Butantan alertou "diversas vezes" Pazuello que compra da CoronaVac não tinha intermediadores

Já antes da reunião feita por Pazuello, a própria Sinovac, desenvolvedora da CoronaVac, avisou o Ministério da Saúde que o Butantan era o único fornecedor do imunizante no Brasil



O Instituto Butantan alertou "diversas vezes", segundo a jornalista Victoria Abel, da CBN, o Ministério da Saúde sobre a inexistência de representantes da Sinovac, desenvolvedora da CoronaVac, no Brasil.
Mesmo assim, o ex-ministro Eduardo Pazuello, segundo vídeo divulgado nesta sexta-feira (16), se reuniu com membros da empresa World Brands para negociar a vacina chinesa pelo triplo do valor negociado pelo Butantan. A CPI da Covid deve investigar o caso.

Os alertas foram feitos pelo instituto por e-mails e telefonemas, antes mesmo de março, data da reunião de Pazuello. A própria Sinovac também advertiu o Ministério da Saúde, esclarecendo que o Butantan era o único fornecedor da CoronaVac no Brasil.


A diretoria do Butantan classifica como “revoltante” a tentativa de negociação feita por Pazuello, já que o instituto negociava diretamente com o então secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, que também estava na reunião.

Para a diretoria, a negociação tem ares de algo “às escondidas” e soa quase como uma traição, já que foi dada chance a vendedores de uma empresa privada enquanto o Butantan, público, oferecia as mesmas vacinas por um preço inferior.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem