Header Ads Widget

'Fora Bolsonaro' explode pelo País e mostra que o povo vai ocupar cada vez mais as ruas contra o genocídio | Reconsaj Noticias

O Brasil viveu neste sábado, 19 de junho, um dia importante em sua história. Governado por um presidente genocida e negacionista, o país ultrapassou a marca de 500 mil mortes pelo novo coronavírus. A maioria delas poderia ter sido evitada, se Jair Bolsonaro tivesse adotado as providências necessárias para a vacinação da população, e dado o exemplo de respeito à vida. Nosso maior problema, no entanto, é que ele atua na promoção da morte.
Mas este 19 de junho também entra para a história como o dia em que o povo voltou às ruas contra Bolsonaro. Os organizadores da Campanha Nacional Fora Bolsonaro estimaram a realização de 427 atos em todos os estados e no Distrito Federal, e outros 17 no exterior, com a participação de um total de 750 mil pessoas. Nos atos de 29 de maio, houve no total 227 manifestações, distribuídos em 213 cidades no país e 14 cidades no exterior, com cerca de 420 mil pessoas. ​
No momento em que a pandemia se recrudesce, o país se mobilizou novamente nas ruas para pedir o impeachment de Bolsonaro, intensificação da vacinação, auxílio emergencial de pelo menos R$ 600 e muitas outras reivindicações. A TV 247 fez uma cobertura histórica de mais de 10 horas ao vivo das manifestações, recebendo centenas de vídeos de assinantes, telenautas, além de entradas ao vivo de várias cidades.
A intensidade das manifestações mostraram que o povo está cada vez mais disposto a ir às ruas, apesar do coronavírus, para exigir a saída de Jair Bolsonaro. O nível da pressão política consequentemente subirá no Congresso Nacional.
O presidente da Câmara, Arthur Lira, terá cada vez menos condições políticas para ignorar os mais de 130 pedidos de impeachment de Jair Bolsonaro. As manifestações deverão continuar e ser cada vez maiores, à medida em que a população for se vacinando contra o coronavírus. Lira não conseguirá represar por muito tempo mais o impeachment de Bolsonaro. Após 500 mil mortes, o país mostrou neste sábado 19 que está cada vez mais disposto a dar um basta no genocídio.

Postar um comentário

0 Comentários